coomeb - Cooperativa dos Médicos do Brasil

Para visualizar essa anima��o voc� precisa instalar o plugin Flash Player. Fa�a Download.

Notcias

25 de junho de 2018

Estudo internacional volta a ligar infecções por vírus ao Alzheimer

Estadão

Um novo estudo internacional relaciona o Alzheimer a infecções virais, dando mais força a uma teoria até aqui considerada controversa e abrindo caminhos para novos tratamentos e prevenção. O trabalho, publicado na revista científica Neuron, atesta que dois subtipos do vírus da herpes (HHV-6A e HHV-7) foram encontrados no cérebro de pacientes de Alzheimer em níveis até duas vezes maior do que os achados no tecido cerebral de pessoas que não têm a doença.

Especialistas envolvidos no estudo frisam que o vírus da herpes (ao qual 90% da população é exposta ainda na infância) não causa Alzheimer. Mas o trabalho sugere que o vírus pode deflagrar uma resposta do sistema imunológico capaz de aumentar o acúmulo da proteína amiloide, responsável pelo Alzheimer. Já se sabia que a inflamação dos tecidos cerebrais estava relacionada à doença. O novo estudo fornece uma causa para a inflamação.

Os pesquisadores fizeram o sequenciamento do RNA do vírus em quatro diferentes regiões do cérebro humano, a partir de mais de 600 amostras de tecidos cerebrais. O objetivo era quantificar quais genes estavam presentes nos tecidos e se poderiam ser associados ao desenvolvimento da doença.

O grupo constatou uma complexa rede de associações inesperadas, relacionando os vírus com diferentes aspectos da biologia do Alzheimer com a formação das placas de proteína amiloide e a severidade da doença. Para dar mais robustez aos resultados, eles replicaram o experimento usando outras 800 amostras cerebrais provenientes de outros bancos de tecidos, obtendo o mesmo resultado.

A teoria que relaciona vírus ao Alzheimer não é uma unanimidade entre os especialistas na doença. Para eles, o fato de serem encontradas grandes quantidades de vírus em cérebros com Alzheimer não tem, necessariamente, uma relação de causa e consequência. Entretanto, esse foi o estudo mais amplo a constatar a relação.

Para ler a matéria na íntegra, clique no link: https://bit.ly/2Kn7ahf